30/12/2013

Benvindos a Mourão.Estilismo de uma escapadela de fim de semana! De frio...

Mourão. 
Fotografias "caçadas" à hora mágica em que termina o dia e se põe a noite.
O sol baixa e tudo se transforma num mistério de pura magia.
É assim a natureza.
Numa escapada de fim de semana, de descanso e de represa de energia. Como no Alqueva.
Mourão e a maravilhosa Monsaraz.
No aldeamento Horta da Moura que recomendo vivamente quando o objectivo é descanso e namoro. Porque os casais precisam - mais do que nunca - de ter tempo SÓ para eles. E para os amigos.
Porque esta vida é tramada.
Fala a voz da experiência e ponto final parágrafo.

22/12/2013

Um bar. De neon. Onde se servem ... perfumes! Huuuuum! Booooooommmmm!

Um bar de neon. Luzes. Clean. 
Vontade de entrar cada vez que lá passo. Mas passo a desoras e está fechado. Super moderno e apelativo.
Foi hoje, Domingo. Afinal é um bar. Mas um bar de perfumes. Onde vale a pena entrar. Cheirar. Desfrutar.
Perfumes para o corpo. Para a casa.
A "low cost", baixo preço que não desculpa não andar cheirosinho. 
Na Rua Domingos Sequeira, 11 A, em Lisboa.
No coração da Estrela, junto à Basílica!

20/12/2013

Look de um dia de chuva.

Os dias cinzentos de chuva são os que nos mostram menos luz. O sol está lá sempre, mas não se mostra. Não se vê.
 São estes os dias que precisam de mais luz. Da nossa Luz. Luz de nós.
Por isso: são os dias que gosto de me vestir com mais cor. Com mais alegria.
Porque o sol está lá sempre. Também quando não se vê.

PS - Já tinha saudades de fazer isto...

 Vamos ver:

16/12/2013

O que agora me irrita.


Ó meu blog, acho mesmo de mau gosto andar tanto tempo arredada (ando arredada e a pairar no ar) e vir dizer agora o que mais me irrita. Mas venho mesmo aqui dizer que o que mais me irrita agora  é estes (totós) a passear na rua com esta coisa na cabeça:
Vejo na rua (passadeiras dos peões nas estradas para os carros) filas e filas de estudantes com este gorro ridículo na cabeça.
Odeio (é a palavra certa) que o meu querido ginásio tenha transformado o Natal num... carnaval. Um Carnaval de disfarces ridículos nem eu sei do quê porque de "pai natal" não têm nada.
Transforma-se o Natal  numa coisa, mais do que saloia, de uma ignorância lamentável inqualificável (culposa????), que parece um Carnaval.
Para a história - essa, inesquecível - ficou o Jantar de Natal do meu escritório, na 6 ª feira passada, precedido de uma Missa de Natal onde se falou da vinda de Deus ao mundo, do seu amor e do seu perdão incondicional que nos deixou a todos com uma paz que não tem explicação e muito menos preço. O jantar de Natal foi no exclusivo Grémio Literário, na varanda de um estilo entre a Arte Nova e o Deco (linda!) seguida de uma ida ao Park, um bar com vistas soberbas sobre a maravilhosa cidade de Lisboa, sempre regado a champanhe e muito boa disposição (eu na medida do que me é possível)
Neste blog, em breve, modelos de outfits para umas festas cheias de estilo, bem vestidas, adequadas a toda a dignidade das festas. Nunca com um barrete ridículo que mais parece os de uns forcados amadores. Mas esses são para as arenas. Com todo o respeito que merecem, o que está agora em causa é infinitamente maior. No verdadeiro e literal sentido da palavra.
E já agora uma coisa que me fez passar: mudar os nomes das freguesias de Lisboa cheira-me a avental e não é de cozinha. O mesmo que troca o presépio pelo Carnaval.
Não nos podemos habituar. Vá de retro.
Neste blog: a promessa de outfits ultra estilosos para estas festas.
Beijo da Maria 

10/12/2013

Fresco como o limão e doce como a geleia : "Lemon Jelly". Portugueses de Portugal.

GOSTO! GOSTO! GOSTO!
Foi paixão de primeira vista, sem dúvida e sem hesitação.
Depois ... soube que são portugueses de Portugal
Para conseguir umas em Lisboa tive que fazer uma dúzia de telefonemas e na internet o modelo estava esgotado. Lá consegui o meu par. Voltei agora a encontrá-las aqui em Viseu...
Gosto. Muito...  De passar o Inverno com umas botas de chuva que são um explosão de cor e de doçura!!!!
O nosso calçado sabe ao mais doce dos doces: é como uma explosão de gelado, gomas, rebuçados e chupa-chupas. O nosso calçado tem o som das gargalhadas e o toque de uma carícia. O nosso calçado cheira a Lemon Jelly. 
Vamos conhecê-las:

07/12/2013

Como se faz um homem feliz. É só com duas "coisas".

Não lhe pedi autorização e limitei-me a copiar isto para aqui (espero que não me peça direitos de autor nem indemnização por violação do direito à intimidade da imagem). Está em Espanhol e tenho imensa pena que não se entenda (eu acho que se percebe). Mas também era suposto que se tratasse do tema de como se faz uma mulher feliz. Mas o que eu achei mais interessante é que conta como se faz um homem feliz. E ... são só necessárias duas "coisinhas" . Estão no minuto 1'50. Não deixem de ver...
"defender o amor"
"se me amas, diz-mo"
"para se fazer feliz a um homem é necessário .. + ... "  (minuto 1'50)
O vídeo todo vale a pema. Não sei quem é, mas fez-me rir e fez-me pensar. Eu gosto MUITO de pensar a rir. Não há nada melhor.
Desfrutem:


Beijinho da Maria

30/11/2013

Notícias. Desejos de um sonho de Inverno

Eu não ando blogueira. Mas ando muito inspirada e tenho escrito muito. Tudo suspenso da (falta de) coragem (?) para publicar. Hoje um rapaz muito giro disse-me pare eu escrever...  coisas que se lessem... Um daqueles que eu pensava que não lia isto. Eu penso que as pessoas que eu conheço não leem e por isso é que eu escrevo e depois esqueço-me e quando se fala ... fico embaraçada ... .
Quero mostrar o meu cabelo com um corte mais arranjado do que andava, mas mais curto do que desejava. Fiz um post com as fotografias e apaguei-o por engano... Cheguei a uma fase que me passou o trauma de infância de querer o cabelo pelas costas abaixo (a minha mãe levava-nos a todos ao cabeleireiro e eu vinha de lá com o cabelo curto e quando chegava a casa deitava-me no chão da cozinha a dizer que me matava... e fiquei traumatizada para toda a vida ...). Mas eu ainda hei-de mostrar aqui a diferença entre o cabelo com que fiquei (aquele corte giro, o que vai marcar esta década...sabem qual é?) e o cabelo dos meus sonhos...
Hoje, aqui fica a lista de "desejos de um sonho de Inverno", de presentes de Natal, de mimos, de espera que venha a época de saldos, alguns agora mesmo, a não perder:

22/11/2013

Eu sinto-me ofendida com tanta asneira junta.

Gosto muito de Coca Cola e, embora não saiba se isso é verdade, sempre encarei a Pepsi como uma imitação bera da Coca Cola, uma "não escolha" e nunca optei por ela, até porque gosto de Coca Cola e acho a Pepsi "sofrível". Só me lembro de beber Pepsi quando não há Coca Cola e sempre com pena de não ter a autêntica.
Mas esta campanha passou os limites do razoável porque é tudo mau. Tudo e não há nada de positivo que aqui se possa encontrar. Vamos ver:
1º - Utiliza o "voodo", uma superstição (a superstição, embora não se possa ter consciência disso, é um pacto com o demónio e é o acto pelo qual se diviniza indevidamente algo que, na realidade, não é divino. Na forma mais corriqueira, atribuem-se efeitos a coisas que o não têm nem podem ter). 

14/11/2013

A beleza na dor.

Mais um post que andou aqui escondido nos dias, travado pela minha reserva, dúvida ou seja lá o que for. Mas tem sido para mim uma experiência tão tranquilizadora que acho que não a transmitir seria egoísta.
Tudo o que se tem passado nestes dias perdeu completamente importância. Perante a realidade da partida de um ser tão querido, tão nosso, tão da nossa vida, a importância das coisas reduz-se a um simples "nada". A morte é avassaladora mas pensar nela não me assusta. É pensar na nossa essência, na nossa razão de ser. E ... faz parte da vida. O meu irmão morreu e, de certa forma, ele estará mais presente agora nos nossos dias. Eu encontro-o agora de uma forma especial: na Matthäuspassion de Johann Sebastian Bach (alemão de Leipzig, esta música é provavelmente 1727, mas seguramente do Séc. XVIII)  Uma das obras primas da música ocidental. E era uma das obras preferidas do meu irmão a que ele voltou nos últimos dias da sua vida na terra mas que sempre o acompanhou. Agora, nestes dias, a "Paixão Segundo S. Mateus" de Bach tem sido a minha companhia. E tem-me proporcionado momentos de arrebatamento, de paz e de uma tranquilidade profunda. De tal forma, que agora acho que ninguém devia passar desta vida sem ouvir esta mostra da beleza dos momentos de maior dor. É o que esta obra significa. Eu tenho-a ouvido no carro, no escritório e tem-me andado na cabeça. 
Para mim, tem sido uma experiência que tenho vivido como um presente que o meu irmão me deixou. E tenho-a ouvido no carro, nas minhas idas e vindas a tentar acompanhar o "continuar da vida" que não pára. Tenho-a ouvido no meio do buliço da cidade e do trânsito.Tem sido uma experiência única que me transporta para um mundo de paz, tranquilidade, beleza, enche-me completamente e sinto o meu irmão tão perto de mim, com esta obra de que ele tanto gostava. Eu acho que todas as pessoas deviam passar por esta experiência:  percorrer a cidade a ouvir esta música. Fica tudo tão diferente...
Desfrutem. Mas não deixem de ver o último dos três que aqui deixo....

P.S - cortei o cabelo... Amanhã mostro como ficou.













Dia 21 de Novembro: bloquear a agenda das 12H30 às 14H30.

Bloquear a agenda e ir. As inscrições estão abertas.
Porque é preciso parar para pensar.
Porque o mais importante na vida nem sempre é o mais urgente.
Este é o 10º almoço das Mulheres do Século XXI. A não perder.
As inscrições são limitadas e podem ser feitas AQUI ou através deste E-MAIL.
Até lá, este blog vai estar ligado a este projecto pelo qual tenho tanto carinho e basta clicarem no link à direita.

Beijo da Maria. APROVEITEM  A VIDA DA MELHOR MANEIRA: FELIZES!

10/11/2013

Over the Knee Boots + mini skirt = women and men repeller.

Não ando blogueira, mas hoje tinha de ser. A inspiração veio da rua e obrigou-me a escrever. Foi hoje quando ela ia a atravessar a rua que a vi (não sei quem é) e tive imensa pena dela. Por não ter ninguém que lhe dissesse que a figura que fazia era de uma .... rameira (não sabem o que é? também não vou dizer...) ou .... de "mulher de esquina". Eu gosto muito destas botas de cano acima do joelho e ando a ver se encontro umas. Mas usá-las assim devia ser PROIBIDO. Porque dizem mal de quem as usa.
Não percebem o que eu quero dizer, não faz mal. Vou mostrar o efeito e concluem. Porque a imagem é tudo e não é preciso explicar. Mesmo no corpo "top ten" da Miranda Kerr ou da curvilínea J. Lo (que assobia muitas vezes nas curvas....).
Se quiserem ver... (não é bonito, é feio), é só continuar este post....

07/11/2013

Não te abandonei, nem te abandono.

Querido Blog,
Não te abandonei. Não te abandono.
Há situações na vida tão trágicas, tão dolorosas e tão inesperadas.
Agora não nos devemos perguntar porquê. Porque não há resposta ao porquê. Porque a pergunta "porquê" nos enche a cabeça de sombras que nos atiram para baixo e nos fazem muito mal (eu não quero escorregar para baixo nem quero ter dentro de mim sombras que me fazem mal). Devemos perguntar-nos o "como". A pergunta "como?" é a pergunta certa que nos traz paz (eu quero ter paz) e nos eleva no meio de tanto sofrimento e de tanta saudade. Um sofrimento tão aconchegado pela paz que Deus nos dá. Como vou aceitar? como vou ajudar os outros? como vou agradecer o dom desta vida interrompida de forma inesperada, dolorosa, precipitada, antes de tempo? Como vou agradecer? Uma forma de agradecer é recordar as coisas tão boas que vivemos, os momentos que passamos tão bonitos e tão bons. Com muita saudade. Mas com a certeza de que na vida eterna nos vamos encontrar. E até lá? Rezar, rezar, rezar. Por ele e por nós. Rezar, rezar, rezar. Esta vida não é a nossa morada definitiva e todos - todos, todos, todos - caminhamos para a nossa morada eterna, onde não havemos de chorar, nem sofre, nem dizer adeus (meu Deus! quantas vezes ouvi eu estas coisas e só agora a estou a PERCEBER)." A minha mãe está parecida à Mãe de Jesus na parte em que ela também perdeu o Filho.
Nestes dias de aflição encontrei a paz na minha Mãe, Nossa Senhora, que é, com sentido próprio, a Consoladora dos Aflitos.
A Capela da Quinta é a prova de que a nossa vida são alegrias e dores. Que grande festa tivemos há um mês atrás no teu casamento. A mesma Capela que agora recebeu o teu corpo. Estás entregue a Deus. Disse-me o nosso grande Amigo Padre Geraldo que estás no Céu. Diz-me a L.. Diz-me a paz que te pedi (eu sei que foi pôr-te à prova, mas tu passaste-a com distinção) e que me conseguiste (recebeste o Corpo de Deus, como pode Deus deixar de receber o teu agora?). Tivemos toda a ajuda, todo o carinho, todo o conforto, todas as orações da nossa Família que é tão grande, tão boa, tão unida. Não se pouparam a nada e deram-nos tudo o  que precisávamos. Os sacerdotes para rezarem as Missas com homílias que NUNCA mais esqueceremos. Como mandaram os paramentos com um carinho e uma disponibilidade sem fim. Coisas que NUNCA se agradecem e que me faz ter a certeza que estou no melhor sítio do mundo. Dá um beijinho a todos os nossos avós. E olha por nós. Faz com que sejamos boas pessoas. E façamos sempre os outros felizes. Que façamos sempre a vontade inquestionável de Deus.  Um beijinho do coração.Vou precisar de falar muitas vezes contigo.

21/10/2013

O Blog da Maria de Londres directo para o Jardim Zoológico.

Directo de Londres para o Jardim Zoológico.
Chegámos. 
A zurrar. 
Estamos em Lisboa.



Tinha-me esquecido desta. Vai aqui "Porque a Beleza Importa". A não perder.

Um lençol no chão em "V" com um copo no vértice, montes de carumas atados, um monte de "caca", consideradas arte contemporânea e a conviver com os pintores contemporâneos mais importantes, mais talentosos e mais marcantes. Umas obras de arte de que já mostrei aqui alguns exemplares que, quando as vejo, penso que, de duas, uma tem de ser: 1) ou fazem de mim parva ou 2) sou mesmo parva. 
Agora mostro mais estas "lindas" obras de arte.Tão lindas e tão importantes que ganharam estatuto e estão nas salas da London Tate Modern, o museu de arte contemporânea dos mais (ou mais) importantes de Londres onde aí convivem (!!!!) com obras de Francis Bacon, Salvador Dalí, Pablo Picasso,  Max Ernst, Giogio de Chirico, Joan Miró, Paul Klee e outros (obras incontornáveis da história da pintura do Séc.. XX como, só para dar um exemplo, o maravilhoso "Weeping Woman" de Pablo Picasso),..... 
Ora estas "lindas" obras de arte merecem ser vistas e, como me esqueci de as acrescentar aqui, apresento-as aqui. Espero que não fiquem de boca aberta como eu fiquei.
Ora vejam lá:

20/10/2013

"Make it up"...

Aqui em Londres parece-me que as raparigas não cedem à tendência da moda actual da maquilhagem efeito "cara lavada".  A base é de cobertura total com pó por cima (ou vários pós, será?), num efeito pele de porcelana que eu não via há anos. Quase todas. As de cabeça tapada incluídas que aqui são muitas, muitas, muitas. Impressionante, numa cidade em que não há um metro quadrado sem uma câmara apontada a filmar, em que não há um autocarro sem 8 câmaras em cada andar (contei eu 8) e onde à entrada da cidade, no aeroporto, me mandaram tirar o chapéu para verificar se eu era a pessoa que constava do cartão de cidadão (porque eu, assim ao vivo, tenho ar de terrorista), vi muitas mulheres de burka, totalmente tapadas, com aqueles olhos a sair do rectângulo mínimo, absolutamente assustadoras e no Selfridges vi uma com um buraco maior no sítio da cara mas com um açaime (parecia o Hannibal Lecter).Quis tirar-lhe uma fotografia porque nunca tinha visto nada assim, mas acanhei-me com medo que um extremista muçulmano me mandasse para o outro mundo. Todas de Lady Dior, Birkin (Hermés), 2.55 (Chanel) Guccis, ...,... (estou só a falar do que trazem à vista porque as grifes, por enquanto, não fazem burkas...), fazem filas à porta das lojas mais exclusivas, mas andam tapadas e  as que não andam de burka parecem (a mim, que sou esquinada) um bocadinho andrajosas. Algumas tapam a cabeça com lenços de grife mas, mesmo assim... Finalmente hoje dei-me conta de que elas também têm as caras refeitas com mão de cirurgião plástico (as das cabeças com lenços, porque as das burkas não se vê NADA e até pode ser um terrorista lá metido e devia ser PROIBIDO). E também me dei conta de que aqui todas usam lápis de contorno de sobrancelhas e é por isso que as têm tão bem desenhadas.  E, embora nunca me tenha dado na cabeça usar lápis de sobrancelhas (e o resto sabe Deus que à hora de o fazer nunca tenho tempo...), isso faz toda a diferença na cara e no olhar. Afinal, é importante. Quanto à burka... Uma mulher é uma mulher. Não é um pedestal tapado. Assim como também não é um corpo para andar ao léu, porque não é só um corpo... E destapadinho é que parece mesmo que só é isso.
New Bond Street. Foi exactamente aqui, no n.º 158, que eu descobri porque é que, este ano, a Zara tem uma quantidade infindável de botas de cano pelo tornozelo,bicudas, alguma com fivelas, outras não...
Alguém adivinha porquê????
Vamos ver montras.

18/10/2013

Unmissable exhibitions in London




Se vier a Londres não perca no Victoria & Albert Museum estas exposições temporárias. 
A entrada no Museu é gratuita. A exposição das pérolas são 10 Libras e a Club to Catwalk (London Fashion 1980's) são 5 Libras. Horários e mais informações aqui




Na secção "Fashion":  



 As fotografias que vou mostrar são da exibição permanente do V&A Museum (secção "fashion"). Das exposições temporárias: era proibido tirar fotografias. Cumpri.  Quanto à das pérolas, é impressionante como, depois de mostrar e explicar a forma extraordinária como se formam as pérolas, incluindo as de cultura com a extraordinária intervenção de Mikimoto (passei hoje na loja dele em New Bond Street...) e jóias únicas desde os tempos dos romanos até à actualidade, a exposição acaba de forma abrupta, numa crítica explícita à intervenção dos chineses,  com baldes de alumínio cheio das pérolas do rio - horrorosas, sem qualidade - com que eles literalmente inundaram o mercado (atenção que há pérolas do rio bonitas e de boa qualidade...).
Quanto à exposição Club to Catwalk, London Fashion 1980's, foi um revavalismo. A influência dos clubes nocturnos nos designers, o lançamento do London Fashion Week, com o apoio de Margareth Tatcher (imagine-se!) as primeiras obras do Galliano e do Paul Smith. A Vivianne Westwood e os Sex Pistols, o movimento punk (que durou meia duzia de anos e nada mais mas deixou marcas que perduram na moda), o uso da licra, a excentricidade e a crítica ao "establishment". Não é a minha praia, não. Mas pensei que, se em Portugal, se tivesse apoiado a moda assim, desta maneira, se calhar hoje estávamos a anos luz do sítio onde estamos.

A  exposição permanente do V &A Museum leva-me a crer (mais uma vez) que moda é arte. Vou mostrar os que considerei mais icónicos;

16/10/2013

London looks.


                                                                                                                       

Um banho de cultura mas não me lavei com a água toda.

  

Com vontade de o visitar há anos e agora com o conselho de última hora de um rapaz muito artista, vanguardista e informado no que respeita à "creme de la creme" da arte, da arquitectura, da pintura, das artes plásticas.
E lá fui hoje. Ao Tate Modern.
Pois aqui fica o meu veredicto: foi um banho de cultura mas não me lavei com a água toda.
Ora vamos lá ver se me explico sem palavras.


15/10/2013

A moda dos sapatos de homem em Londres e o que os sapatos dizem dos homens que os usam.

Primeiro que tudo: isto é um post de opinião, que é a minha e que, antes de criar quaisquer equívocos, digo já que é aquilo que penso e que é uma opinião, certamente dificilmente a modificarei, mas é só a minha... Isso, acrescido a uma constatação da minha vida e que já leva alguns anitos. Mas só isto e nada mais do que isto. Não sei o que pensam....
Londres!!! A nível de moda... hhhuuuuum... hhhuuuuuummmm....
Homens aqui ou andam muuuuito bem vestidos ou huuuuummmmm.... huuuuuummmm. E hoje andei a observar .... sapatos de homem... porque agora há uma moda. E saltaram-me os olhos para eles e...são sapatos que funcionam como "repelente de mulher" Os homens usam-nos com as calças justas, skinnys (como agora se usam), e depois estes sapatos bicudos (muito bicudos), com o bico a levantar vôo. Ficam mesmo azeiteiros.
E a questão é que, nos homens, os sapatos contam-nos muitas coisas de quem os usa. Às vezes coisas demais e inesperadas.
Uma pessoa olha para um homem que até pode parecer um gentleman, a puxar para um "dandy", ultra giro, olha para o pés e vê-os enfiados nisto... e percebe logo que em vez de um "dandy" está só em frente de um "azeiteiro" ... Desculpem lá qualquer coisinha, mas é só a minha opinião (e também podem dizer que eu sou azeiteira que não me importo nadinha).
Ah! Porque a inversa também é verdadeira. Homem "mais ou menos" (em estilo casual,"blasé" ou até descuidado) pode-se revelar através de uns sapatos como um estiloso nato.

Mas os sapatos que eu vejo aqui em Londres em muitos pés com umas calças skinnys são muuuuito bicudos a levantar vôo na ponta. São assim:

13/10/2013

Welcome to London City!





Primeiro: eu estou bem, estou fina. Recebi imensas mensagens por causa do último post que aqui escrevi e que, pelos vistos, diz mais do que eu quis dizer. Eu estou bem! O que tenho é um problema pulmonar que já tinha antes e estou como estava antes do post que, pelos vistos, estava mal escrito porque perceberam que eu estava doente!!!! Ora eu estou exactamente como estava antes de escrever o post. Só disse que ía morrer porque me obrigo a pensar muitas vezes nisso, pois põe-me a cabeça no Céu, os pés da terra e o coração no que é verdadeiramente importante. O que a médica me mandou fazer foi ser seguida no hospital de Santa Marta porque é um centro de excelência e ... porque tenho de ser seguida. Mas estou bem. Eu tenho um problema mais grave que é o facto de fugir dos médicos porque acho sempre que eles nos vão encontrar doenças... Todos temos os nossos "calcanhares de aquiles", certo? O meu é a parte respiratória e é por isso que ando sempre de lenço amarrado ao pescoço e chapéu na cabeça. Ás vezes as pessoas acham estranho, mas eu sei que se apanho um pouco de sol na cabeça fico logo doente. E frio no pescoço e é o mesmo e correntes de ar, não posso apanhar frio e é isto, não posso passar do quente para o frio que é certo. Um vidrinho ... . Nada de mais. Só é um assunto que tem de ser vigiado e seguido. MUITO OBRIGADA porque, no fim de contas, recebi tantas mensagens, tão carinhosas que fiquei absolutamente rendida. Estou como estava antes, com a mesma doença que tinha. Mas há alguém que vá ao médico e não venha de lá com uma doença? Vêm-nos por dentro e por fora e alguma coisa têm de encontrar. Nem que seja um quisto sei lá aonde ou uns parafusos a menos na cabeça. Como não me viram a cabeça, não deram com esse problema, mas este também não é preciso. Bastava verem este blog para fazer esse diagnóstico.
Hoje andamos a vadiar em Londres. E aqui fica   o registo. De manhã Missa. Se não há Missa para onde queremos ir, não vamos. Nós somos assim. Ponto. Num país anglicano, a Missa católica é de um cuidado que não tem limites. O Confiteor, o Glória, o Pai Nosso em latim cantado. Num ritmo certo - nem acelerado nem parado - absolutamente afinado e certo. A homília .... sobre a consagração que o Papa Francisco fez do mundo interior ao coração de Nossa Senhora (e fê-la diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima que foi a Roma pela terceira vez desde sempre para este efeito) e sentimo-nos em casa.... Estamos seguros, estamos confiantes e não precisamos de mais nada.
Agora aqui está: Trafalgar Square. Uma pessoa chega à National Gallery e vê, entre pessoas em show para o público, uma "manif" sei lá eu do quê. Voltei a ver os quadros do meu querido Van Gogh, os girassóis que ele pintou 2 meses antes de morrer e que considerou uma ode à alegria, colocou no quadro de hóspedes da sua casa e que o seu amigo Paul Gauguin encontrou quando o foi visitar. E os quadros que pintou no ano e no mês que morreu, como os campos de St Remy.  E os outros que pintou na fase mais criativa e produtiva da sua vida que foi, precisamente, a que esteve internado, durante os últimos meses da sua vida. A cadeira com o cachimbo e o tabaco no seu quarto, de proporções e perspectivas desarmantes em relação à porta e à parede.

Benvindos à cidade de Londres!


O Blog da Maria parou em Londres.



10/10/2013

Querido Blog. Soube hoje a minha sentença. Ao fim de dois longos meses de exames.

 Querido Blog
Venho dizer-te o que aconteceu. Depois de dois meses de exames que levei como uma cruz, e cujos resultados guardei numa gaveta fechada nos envelopes fechados como me foram entregues, envelopes que não abri e que continham a minha sentença de vida ou de morte, de saúde ou de doença. Exames que fiz porque o meu homem me marcou consulta e porque, depois, me marcou os exames. Em envelopes grandes fechados, o TAC, as ecografias, as análises, ...,... ao todo nove exames. Fiz de avestruz e meti a cabeça na desculpa de que exames médicos devem ser vistos pelos médicos. Guardei a data da consulta na agenda sem pensar, mas hoje, chegou o dia. O pior dia para ir para o Centro de Saúde esperar pela sentença. No meio de um imenso stress de trabalho, de prazos, de trabalhos para fazer que não cabem nas horas do dia, a tentação de mudar a data da consulta foi maior que muita, gigantesca, demolidora por razões inadiáveis. Na minha cabeça o conselho de uma amiga que me apontou como obrigação grave cuidar da saúde. E eu senti de novo aquela sensação de me cair a vida das mãos quando tive a notícia do problema pulmonar irreversível precisamente quando me sentia cheia de força física, a gozar plena e  excelente saúde, desportista em forma física invejável. Não me caiu o mundo mas foi, no mínimo, uma surpresa que me atirou violentamente com a realidade inexorável das minhas fragilidades.
Hoje chego ao centro de saúde, a pensar na minha médica de família, a melhor médica depois da que fez nascer os meus filhos. Mil vezes melhor e mais cuidadosa do que o Pneumologista onde eu ía confortavelmente de 6 em 6 meses porque me mandava sempre fazer o mesmo, numa de "leva receita, paga os 95€ da consulta e desampara-me a loja". Hoje centro de saúde comigo onde tive a sorte de encontrar esta médica que se interessou mais pelo meu caso do que eu própria que fujo dele quanto posso (avestruz...). Senha "A" com consulta marcada. Mas

Notícias de um dia de anos. Diferente. Fiz o que quis.

Fiz anos no sábado. Ainda quis vir ao meu blog dizer isso, pôr aqui um bolinho todo azeitado, frou-frou, com lantejoulas de preferência, muitas cores e muito pirosas porque isso me ia fazer feliz e dar uma imensa vontade de rir. Faltava meia hora para a meia noite quando me lembrei de fazer isso mas estava numa casa grande e no sítio onde estava ... não chegava a internet... O raça da internet nunca lá está quando uma mulher mais precisa, o que é o caso de vir ao blog dizer que faz anos, o que é uma coisa boa e só acontece uma vez por ano. A partir de agora até já há quem só faça anos de dois em dois anos. Por mim que sou uma exagerada estou a pensar fazer anos de 3 em 3 anos. Nos anos de intervalo recuo e qualquer dia chego outra vez aos 20. Não.... não.... eu sou muito optimista e acho sinceramente que a melhor idade é aquela em que estou e não a trocava pelos meus 20 anos porque era uma tótó.
No meu caso que faço anos no dia 5 de Outubro, sempre foi feriado e este ano, pelos vistos, não foi. Mas foi sábado que foi dar  ao mesmo.
Este ano fiz o que eu mais queria fazer. Eu sei que era giro aparecer aqui com um vestido de festa ultra "féchon" junto a uma garrafa de Moet Chandon num ambiente muito requintado e cheio de glamour... Talvez noutros anos tenha sido assim. Este ano não foi. Eu fiz o que queria: estar com os meus Pais em Viseu e, claro, o meu marido e os meus filhos. Pela primeira vez - dei o meu maior abraço via skype e recebi a melhor mensagem escrita que podia ter recebido. Porque a vida é assim e já não estamos fisicamente juntos, embora tenha descoberto, na mensagem mais bonita que podia ter recebido, que se descobre que estamos unidos ... pela oração. E isso só se descobre quando nos separamos e quando rezamo porque isso é pensar nos outros, pedir por eles e estar unidos a eles. Uma união mais profunda do que  a união física. Isto não é glamouroso, nem "féchon" mas foi assim e deu-me mais paz do que os festejos maiores que eu pudesse organizar (eu sou muito festeira). Um dia de anos cheio de paz e de muita alegria porque me esqueci de mim. Esqueci-me que fazia anos. E fiquei... mais jovem. Agradeci o dom da vida e perguntei-me porquê eu.... E estive com o meu querido Pai que, neste momento, é uma benção do céu. Porque está doente. Porque o podemos ajudar e confortar, acarinhar, suavizar a dor, aliviar, e porque nos fortalece, nos une e faz sair de nós e pensar nele que nunca fez mais nada na vida do que tratar e pensar nos outros, os filhos incluídos. Agora chegou a nossa vez e pela primeira vez vejo-o a ser ele tratado e não a tratar dos outros, como sempre o vi fazer com um amor e uma generosidade sem limites. Sem limites. Querido Pai!

Beijinho da Maria

08/10/2013

Raça de gente. Vamos falar de m---a mesmo.

Estão lá como porcos e porcas na porqueira, vacas e bois no curral, galinhas e galos no galinheiro.
Qual é o conceito de dignidade de quem meteu esta gente - alegadamente acéfala ou com alegada deficiência por acefalia - dentro de uma casa, para copularem uns com os outros (e outros com uns) sem se conhecerem.
Depois há os alegados anormais que se colam à televisão - julgo que à conta do mesmo e m....oso conceito de "dignidade" - a ver esta gente despida dentro de uma casa, escolhidos a dedo, alegados acéfalos mas comprovada e assumidamente a copular promiscuamente uns com os outros. Não consigo ver mais do que um segundo a m----a deste programa. Um curral onde meteram uma duzia (não sei quantos são) e que fazem o servicinho conforme lhe dá o pagamento que vontade para a promiscuidade para a frente das câmaras duvido que tenham. E a  apresentadora - que pode ser melhor pessoa do que eu - pratica a badalhoqueira, a porcaria, incentiva os alegados acéfalos e a promiscuidade numa de "quanto pior melhor".
Não há blog que não fale da m---a deste programa.
Por essas e por outras é que eu acho que este meu blog tem de existir e não paro de escrever enquanto tiver saúde. Esta gente não se enxerga mesmo.
Bem me apetecia dizer uma asneira grossa. Que se lhes aplicava porque é mesmo a que eles já andam a fazer.
Elas sempre com os vestidos mais justos e curtos e não se conseguem sentar sem mostrar a garganta a não ser com um enorme esforço e a puxarem o vestido que depois deixa a parte de cima à mostra (bem diz o povo que cobertor pequeno deixa os pés de fora, mas esta gente pensa que as coisas esticam). A porcaria da estação de televisão meteu-os numa casa como porcos na porqueira, vacas no curral e cães no meio da rua. Galináceos também seriam um bom exemplo. Não sei como seriam em frente das câmaras mas parece que também são os animais mais acéfalos que existem.
UF!
E o mais triste disto tudo é que, pelo caminho, esta gente perdeu a dignidade. Toda. E ficaram na pior situação de indigência que um ser humano pode ficar.
É aqui que nos leva a esterqueira. Sempre.

Não está "tudo bem", não. Assim não.

Há dias vi um rapaz que caiu de bicicleta, não se conseguia levantar, de certeza com algum osso partido e ninguém parou para o ajudar. Ninguém. Só um polícia e não sei se por dever de ofício se por dever de ajuda que todos temos. Que mundo é este?
Depois passam ao lado e não querem saber das pessoas que, por ausência de qualquer atributo, são qualificadas de "deficientes". Pessoas como nós, como eu, ou se calhar melhor do que eu e do que os energúmenos que andam neste mundo como se não houvesse mais nada para além da choldra deles. E depois vêm com a trampa da "dignidade" e os indignos e anormais são eles. Monstros que só se conseguem ver a eles próprios.
Raça de gente!
O pior é que estas coisas têm efeito de retorno e este egoismo gera egoismo e à hora que esta gente precise de ajuda, vai encontrar um enorme vazio. A mesma e cruel indiferença com que tratou os outros. Apetece-me dizer bem feito! merecido! Mas não vou desejar isso.
Eu acho que um dos grandes problemas do mundo de hoje é esconder o sofrimento e as pessoas que sofrem. É não ajudar, é não pensar nisso. E assim não conseguem ser felizes. Pensam que se "varrerem para baixo do tapete" passa. Ou se passarem por cima com a história da "dignidade" mal entendida isso passa. Mas não passa. Agrava. Depois anda tudo de consciência e cabeça anestesiada a fingir que está tudo bem.
Mas não está.

03/10/2013

Look para entrevista de emprego ou reuniões formais. E....de mudança de estação.

 
Dias de trabalho com reuniões de responsabilidade. Entrevistas de emprego. Ocasiões em que é preciso levar "a medida certa", contida mas não careta, austera ou aborrecida.
Aqui está o meu eleito de hoje, inspirado na tendência actual de usar fatos masculinos com acessórios ultra femininos. Se fosse para uma entrevista de emprego: retirava estes brincos e substitui-as por umas pérolas ou argolas pequenas porque, nestas situações, o adequado é que os acessórios sejam o mais discretos possível ou até excluídos.
Substituir a camisa tradicional de corte masculino por uma feminina parece-me uma opção que, embora menos segura, é mais moderna e pode favorecer a imagem que passa, mais actual.
Queria só dizer que estas fotografias estão cheias de imperfeições. Foram aqui postas como foram tiradas, numa correria e sem cuidados nenhuns. Mas embora isto possa parecer estranho ou desarmante, eu tenho de esclarecer uma coisa: eu respeito profundamente a imperfeição porque ela faz parte da natureza humana. Sim! Sim! Sim! Eu sei que sim! Eu sei que todos devemos aspirar e caminhar no sentido da perfeição. Mas como seres humanos, a imperfeição é o nosso "selo" e por isso, eu assumo-a como minha, quero-a, aceito-a. Aos que pensam que aqui podem encontrar fotografias e produções maravilhosas, captadas por fotógrafos profissionais com maquilhagem e cabelos de profissionais: convido-os a visitar outros blogs (e continuar connosco!!!!!). Este é um blog que também é de imperfeições. As imperfeições do género humano e que eu assumo. Assumo-as tanto como  a certeza e a convicção profunda que podemos ser sempre um "melhor eu". No sentido mais profundo e abrangente que a expressão tem. Como a certeza de que todas as pessoas que não aceitam as suas imperfeições - convertendo-as, até, num motivo de atracção - serão sempre insatisfeitas e infelizes, com uma pontinha ou um montão de frustração. Porque a beleza perfeita: simplesmente não existe ou é raríssima.

01/10/2013

Vamos lá ver como o Balmain, nesta estação, nos ensina a usar saias curtas sem se ver até ao umbigo


Quem são as pessoas com êxito?

Às vezes vejo-me perante o pensamento da diferença entre uma pessoa com êxito e uma pessoa fracassada.
O fracasso não é um anátema e pode ser uma situação passageira. Mas é bom pensar no que faz de um ser humano uma pessoa fracassada. Porque uma pessoa sempre está em mudança e sempre pode melhorar.
Quando penso em êxito, a primeira e inevitável conclusão é logo de que resulta sempre de algo que está dentro das pessoas e não fora delas. A maioria das pessoas com êxito chegou a ele por si e não pelas condições externas. E até há muitas pessoas com êxito que, quando se olha para elas, se diria que iam fracassar....
Acham que não??? Não vou discutir isso porque a realidade é tudo (neste caso, oferecida em imagens...):


Então pus-me a "picar" coisas e conclui o seguinte:

As pessoas podem ser :

Humildes -----------------------------------> Julgar que sabem tudo
Ver o  lado positivo de tudo ------------------> Só ver o lado negativo de tudo
Optimistas -----------------------------------> Pessimistas
Ajudar os outros -------------------------------> Provocar e atormentar os outros
Actuar -----------------------------------------> Criticar
Solucionar--------------------------------------> Queixar-se
Falar de ideias ---------------------------------> Falar dos outros

Ou seja: as pessoas podem ser:

Pessoas Com Êxito ---------------------------------------> Pessoas Fracassadas

Com pouco se faz o êxito e com pouco se chega ao fracasso. No fim de contas, tudo passa pelo que está dentro das pessoas e não pelo que está fora delas.
Verdade ou não??????

PS - sempre que me queixar deste tempo horrível que tem estado vou pensar no lado direito da minha tabela do êxito e dar duas palmadas na boca antes que ela se abra para esse efeito.
No final das contas até é bom pensar que o sol nasce sempre outra vez.