24/02/2016

Um blog imperdível.

Mais do mesmo.
Várias posições + mesmo estilismo.
Formato: shorts / mini-saia + Adam Smiths (ou algo do estilo) + aneis pequenos + fios pequenos + do mesmo.
Consequências para quem lê = zero + 100% em perda de tempo
 Conteúdo = zero.
Linguagem = inconveniente, foleira,
Nada de novo. Enfadonho.  "Voyeurismo"
Portanto, a conclusão é que, em matéria de blogs: queremos um imperdível com muito conteúdo e muita inspiração,
 Imperdível é o "Girl in New York" , oficial da Miu Miu. Com uma "miu miu girl" que vai mudando mas com imagens sempre tão humanas e inspiradoras. Mulheres reais com imenso estilo e muitas coisas para contar numa única frase. Um imenso proveito, partanto!
A encarnação do estilo Miuccia Prada. Delicioso, Inovador, Invariável bom gosto. Beleza.
Subscrevo todo este blog na íntegra.
Veja as fotografias e inspire-se em tudo. desde as imagens aos pormenores como o da argola no segundo furo da orelha à fotografia da taça de legumes deslumbrante.
Este vale a pena.
Pela Kate Foley. Da qual a Garance Doré diz: "It means she wears the pants clothes.They don’t wear her."
Isso, sim, é que é estilo!A seguir!

23/02/2016

Dourado e plissado.

Andava de olho nela desde que a Gucci a lançou e as outras marcas a seguiram.
Agora está aqui e custa 1.200 euros (!).

  Fotografia do net-a-porter.
Mas agora há uma aqui. Custa 25,95  euros. Ou seja:  perfeitamente compatível com uma saia que não se vai usar para sempre. Com a vantagem de ser menos brilhante e, por isso, mais vestivel numa onde de dia-a-dia cheio de estilo.

11/02/2016

Shopping: Zara.

Estive ontem na Zara e fiz uma seleção de peças que experimentei, gostei e que valem a pena em termos de qualidade preço.

É polipele mas tem pinta. Este material está a ser usado em marcas de topo como a BCBG e outras (para não falar da Stella M. que não usa pele de animais). A cor é maravilhosa e, ao contrário do que se possa pensar, fica bem com quase tudo. Resulta muito bem os fechos dourados com o amarelo.Aqui.


Este ano vão continuar os "bomber jacket" e esta combinação com o estampado florido (super tendência) resulta muito bem. Está aqui.


Este ano as saias "tubo"por baixo do joelho são uma tendência para ficar e a renda já vem de trás. Esta saia "inspiração" Dolce & Gabanna fica bem agora mesmo com camisolas "over size" de tons neutros ou nude (cinza claro, beije ou outro que tenha no roupeiro). Também fica bem com uma "biker jacket". E se quiser arriscar e surpreender, use-as com uns ténis stan smith (Adidas ou similar). Super tendência e gostamos muito da mistura inesperada de renda com ténis!

Nota: achei que esta saia tem um tamanho bastante grande e, por isso, talvez seja bom experimentar os tamanhos mais pequenos.

Por último: surpresa das surpresas, chegou à Zara a "inspiração" ( :) :) :) dos casacos "dupla face" e sem forro do Grupo Max Mara (a Max Mara Studio, Max Mara Weekend, a Marella e a Max & Co, todas têm estes maravilhosos e inconfundíveis casacos sem forro e que muitas vezes são feitos de um tecido que tem uma cor de um lado e uma cor do outro e são completamente reversíveis). Não vou dizer que a qualidade é igual porque não é, assim como não é o preço.
Mas foi uma agradável surpresa. 

Aqui está uma seleção, sendo que alguns vestirão melhor que os outros.




 



Veja agora alguns dos originais:



E espero, em breve, fazer chegar aos leitores deste blogue o que de melhor o mercado tem, também em termos de qualidade-preço. É um desafio que me coloco a mim própria e que penso que será muito útil para as pessoas que não têm tempo ou gosto de andar pelas lojas. Confesso que eu sou mesmo o oposto...


09/02/2016

O preço dos desfiles




 São muito mal tratadas e conseguimos ver na cara de algumas das mais icónicas beldades uma tristeza e melancolia que nos dá pena e que não "casa" com tanta beleza. Não nos esquecemos da infelicidade inultrapassada que convive com tantos aplausos, tantos seguidores, tantas multidões de fãs e ... tanta bajulação. (Só um parentesis: Lembram-se da Marilyn?)

Nas semanas de desfile passam fome e a nutrição resume-se a uma maçã por dia. Aguentam os desfiles com uma banana. Engolem algodão com água para encher o estômago e enganar a fome.
São tratadas como gado e vestidas nos desfiles sem nenhuma dignidade. Os designers o que querem é cabides, onde a roupa caia sempre bem. Não querem pessoas. Querem mulheres sem formas e de uma estrema magreza. As fotografias são retocadas em fotoshop e assim atinge a "perfeição" que enche as páginas das revistas e vende roupa.
Muito poucas são as que chegam aos desfiles da Victoria's  Secrets porque as quer magras mas sem ossos à vista para encher olho dos homens e as páginas dos jornais da Bola.

O mundo pensa que vivem rodeadas de bajulação e honras mas sobra-lhes desprezo.
São as modelos do séc. XXI.
Agora o Governo francês exige que só sirvam as que venham acompanhadas de "certificado". Lembra-me  certificado do gado e das vacas barrosãs.
Tenho uma imensa pena destas raparigas (e rapazes) e o pior é a ignorância do mundo em que elas vivem e das atrocidades a que se submetem.
Vamos ao certificado. Claro que é uma coisa boa exigir que as modelos tenham parâmetros mínimos de IMC e relação altura / peso e que as subnutridas estejam impedidas de desfilar. Já dizem que muitas vão ter de ganhar peso. Deste atestado médico também tem de constar o historial de hábitos alimentares e da capacidade para a profissão de modelo. Tudo certificado por uma junta médica. E parece que vai ser cumprido porque as multas são de 75.000 € a 6 meses de prisão.
E, ainda em prole daquela condição de elegância que é a verdade, as imagens com fotoshop vão ter de conter a menção expressa de "imagem retocada".
Claro que tratar as modelos como pessoas humanas não se regula por decreto. Claro que ser verdadeiro também não.
Mas acaba-se com esta forma de violência que é a anorexia e o sofisma de que uma mulher nunca é suficientemente magra (mea culpa, mea culpa, mea culpa....). E, sobretudo, acolhem-se, na moda, os valores do humanismo e da verdade sem os quais a moda não é moda mas alguma coisa fútil e totalmente destituída de sentido.
Nós aplaudimos. Com as duas mãos.